Aromaterapia na Podologia: um guia completo

oleo essencial podologia vidro ambar

A Aromaterapia na Podologia ensina a usar os óleos essenciais, do jeito certo, em diversas podopatias que aparecem em nosso consultório.

Hoje em dia, é quase impossível não usar os poderosos recursos dos óleos essenciais nos atendimentos de Podologia. Isso porque a aromaterapia dá muito resultado. E não poderia ser diferente, porque possui embasamento 100% científico.

Se você quer ficar por dentro de tudo o que o podólogo precisa saber sobre Aromaterapia na Podologia, este artigo é pra você. Vamos começar?!

Confira neste artigo:

Conceito de Aromaterapia na Podologia

Óleos Essenciais na Podologia

Óleos Vegetais na Podologia

Livros para aprender Aromaterapia na Podologia

Aromaterapia e Alta Frequência na Podologia

Técnicas de Aromaterapia na Podologia

Conceito de Aromaterapia na Podologia

Aromaterapia na Podologia é o conjunto de técnicas de aplicação dos óleos essenciais, para se obter um efeito físico nos atendimentos de Podologia.

No entanto, os óleos essenciais não são usados de modo isolado. Eles são aplicados em conjunto com óleos vegetais, argilas ou creme neutro, para compor protocolos que realmente funcionam. São protocolos para:

  • onicomicose
  • onicocriptose
  • verruga plantar
  • calos
  • calosidades
  • tungíase
  • etc

Óleos essenciais na Podologia

Antes de tudo, é preciso entender que os óleos essenciais são substâncias químicas, produzidos pelas plantas, para garantir a sua sobrevivência no meio ambiente. Portanto, eles cumprem a função de proteção, conservação e reprodução, entre outras.

Da mesma forma, podemos definir óleo essencial como um princípio ativo natural. Princípio ativo é a substância química responsável pelo efeito terapêutico. Essa substância foi produzida pela planta, e tem atividade terapêutica distinta e cientificamente comprovada.

A seguir, confira os principais óleos essenciais usados na Podologia:

oleo essencial onicomicose podologia

Lavanda Francesa

Você já deve ter percebido que a lavanda francesa é um dos óleos essenciais mais usados na Podologia. Por isso, é fundamental para o podólogo ter esse óleo à sua disposição.

Isso porque ela possui propriedades cicatrizante, regeneradora, fungicida, bactericida, calmante, relaxante, etc.

Além disso, a lavanda possui também um efeito modulador. Ela ameniza os efeitos negativos que outros óleos essenciais possam ter, sem alterar as propriedades fundamentais que os óleos essenciais possuem.

Também, é rica em acetato de linalila e em linalol. O acetato de linalila é responsável pelos efeitos relaxante e calmante. O linalol é responsável pelos efeitos fungicida e bactericida.

Na Podologia, a lavanda é extremamente versátil, porque compõe protocolos para micoses, alívio de dor muscular, hidratação, cicatrização, regeneração, etc.

Melaleuca

O óleo essencial de melaleuca é frequentemente usado na Podologia. Ele não só é um poderoso fungicida, como também é um poderoso bactericida, viricida, vermífugo, cicatrizante e regenerador. É rico em terpineol-4 e em gama-terpineno.

Um bom óleo essencial de melaleuca tem baixo teor de 1.8 cineol. A melaleuca de origem australiana, normalmente, tem baixo teor de 1.8 cineol.

Isso porque a ATTIA (Australian Tea Tree Industry) garante e certifica a qualidade do óleo essencial de melaleuca produzido na Austrália.

Na Podologia, é usado, principalmente, em blends para onicomicose, onicocriptose e tineas.

vidro oleo essencial pes

Tomilho

O tomilho na Podologia é usado por causa do seu potencial fungicida, bactericida, viricida, antisséptico e dermocáustico. Ele é rico em timol.

Por ser dermocáustico, o óleo essencial de tomilho pode irritar e até ferir o tecido cutâneo. Por isso, sempre que houver a necessidade de usar o tomilho, observe rigorosamente a quantidade recomendada no protocolo.

Pode ser usado em protocolos para:

  • onicomicose
  • onicocriptose
  • tinea pedis
  • bromidrose
  • verruga plantar
  • calo e calosidade

Alecrim

O óleo essencial de alecrim tem o poder de potencializar o efeito de outros óleos essenciais. É um óleo tônico e estimulante. Estimula a circulação. É utilizado também para desintoxicação.

Na Podologia, o alecrim é utilizado em protocolos para circulação, desintoxicação, alívio de inchaço, além dos protocolos que precisam ser potencializados.

Cravo folha

O óleo essencial de cravo folha é rico em eugenol. O eugenol tem a capacidade de deprimir os receptores sensoriais que percebem a dor. Por isso, o óleo essencial de cravo é usado na Podologia porque é capaz de fazer analgesia.

Por exemplo: usamos ele pouco antes de fazer a espiculaectomia, para aliviar a dor que o paciente vai sentir.

Do mesmo modo, o óleo de cravo possui propriedades fungicida, viricida, bactericida, espasmolítica, anti-inflamatório, etc.

Embora o seu principal uso seja na espiculaectomia, o cravo é também utilizado frequentemente em protocolos para micoses, dor muscular e verruga plantar.

Cuidado!

Como o óleo essencial de cravo tem muito eugenol, ele pode ser alergênico. Por isso, é importante usar em quantidade adequada.

oleo essencial podologia

Menta piperita

É uma excelente opção para edema e dor muscular. A menta piperita tem efeito microbicida, imunoestimulador e espasmolítico. Também possui efeito anti-inflamatório, vasoconstritor e analgésico.

Na Podologia, usamos o óleo essencial de menta piperita em massagens para alívio de dor muscular, causada por pancada. Usamos também em massagens revigorantes.

livro aromaterapia podologia

Lemongrass

O óleo essencial de lemongrass é rico em geranial e neral.

Podemos utilizar o lemongrass em massagens desintoxicantes e revigorantes.

Ele ajuda também a combater a sudorese e odores indesejados. Por isso, é excelente para tratar bromidrose.

Cedro virgínia

O óleo essencial de cedro virgínia é excelente quando assunto é circulação venosa.

Ele ajuda a proteger e fortalecer os vasos sanguíneos. O que, por consequência, melhora a qualidade do sistema venoso.

O cedro exerce também efeito de hidratação profunda. Por isso, é ótimo para evitar ressecamento e fissuras na pele.

Palmarosa

O óleo essencial de palmarosa é rico em geraniol. Na Podologia, é excelente para hidratação, ressecamento, clareamento, tonificação, flexibiliade e regulação da sudorese.

Podemos usar a palmarosa, por exemplo, para clareamento, na dermatite ocre; para combater a bromidrose; para limpar, tonificar e hidratar a pele.

Ylang-ylang

Cananga odorata é o seu nome científico. Ylang Ylang significa flor das flores.

As substâncias que compõem o óleo essencial de ylan-ylang em maior quantidade são o linalol, o o acetato de geranila, o acetato de benzila e o p-cresol.

Na Podologia, é usado principalmente para hidratação profunda e ressecamento da pele. É excelente para hidratação de pés de pacietes diabéticos.

Grapefruit

O óleo essencial de grapefruit é rico em limoneno. Pode agir como microbicida, imuno-estimulante, espasmolítico, desintoxicante,  tônico circulatório, etc.

Usamos também em massagens, para aliviar a sensação de peso nas pernas.

Como o grapfruit é fotossensibilizante, o paciente não deve se expor, de forma prolongada, ao sol. Após usar alguma formulação com este óleo essencial, oriente o seu paciente a evitar a luz solar. Isso porque pode manchar ou até queimar a pele.

Na Podologia, usamos para desintoxicação, hidratação e limpeza profunda da pele.

Copaíba

Quando o óleo de copaíba é retirado da planta, ele é extraído em forma de resina. Este óleo resinoso é composto por óleo vegetal e óleo essencial.

Essa natureza mista ocorre naturalmente na planta. A separação entre óleo essencial e óleo vegetal ocorre de forma industrial.

Na podologia, usamos o óleo essencial de copaíba em protocolos para onicocriptose, micoses, bolhas, cicatrização.

Já o óleo vegetal de copaíba, na Podologia, é usado como base carreadora para compor os blends.

Ele tem propriedades fungicida, bactericida, virustática, cicatrizante, hidratante, umectante, regeneradora, entre outras.

Como escolher o seu óleo essencial de forma correta

Sempre escolha o óleo essencial pelo nome científico da planta. Isso porque o nome comercial é genérico. E pode representar qualquer espécie de planta.

Por exemplo, um óleo essencial com o nome comercial de Lavanda, pode se referir à lavanda do Brasil ou à lavanda francesa. Ou a qualquer outro tipo de lavanda.

É o nome científico da planta que vai te dar a certeza de qual tipo de óleo essencial você está usando.

Na Podologia, por exemplo, usamos a Lavandula officinalis, que é o nome científico do popular óleo essencial de lavanda francesa.

O nome científico nunca vai mudar. Por isso, não compre o óleo essencial se o nome científico da planta não estiver descrito no rótulo da embalagem.

Óleos Vegetais na Podologia

Outro recurso fundamental da Aromaterapia usado frequentemente na Podologia são os óleos vegetais. Afinal, sem os óleos vegetais, os óleos essenciais não conseguiriam penetrar o manto hidrolipídico.

E o motivo é simples: o óleo vegetal é biocompatível com a nossa pele. Ou seja, possui afinidade natural com o tecido cutâneo. Desse modo, o óleo vegetal carrega o óleo essencial para dentro da pele.

Raramente, o podólogo deve usar óleo essencial direto na pele, pois o óleo evapora rapidamente, antes que consiga permear o manto hidrolipídico.

Viviane Ripoll

Óleo de girassol

Quando o assunto é Aromaterapia na Podologia, ele é o óleo vegetal mais indicado para compor os blends, porque é um excelente carreador dos óleos essenciais.

É excelente hidratante, umectante e regenerador. É um óleo vegetal rico em ácidos linoleico e oleico. Acima de tudo, possui um ótimo custo-benefício.

Óleo de semente de uva

Vitis vinifera é o seu nome científico. É um óleo rico em alfa-tocoferol (vitamina E).

Além disso, é também um excelente carreador dos óleos essenciais. Logo, torna-se excelente opção para substituir o óleo de girassol. Possui também um ótimo custo benefício.

Óleo de gérmen de trigo

Sempre que preciso fazer um blend para circulação, eu uso o óleo de gérmen de trigo, porque ele é o mais adequado nesses casos.

Igualmente, ele ajuda a proteger e fortalecer os vasos sanguíneos. Como resultado, ajuda a diminuir a ocorrência de varizes.

Óleo de rosa mosqueta

O óleo vegetal de rosa mosqueta é conhecido pelo seu grande potencial regenerador. É um óleo vegetal rico em ácido linoleico e ácido linolênico.

Na Podologia, é mais usado em protocolos para clareamento, cicatrização e hidratação profunda da pele.

Por exemplo: você pode fazer um blend para cicatrização só com o óleo de rosa mosqueta.

Ou você pode usá-lo na composição do blend. Assim, o óleo de rosa mosqueta potencializa o blend para cicatrização.

Óleo de jojoba

É um óleo vegetal que penetra rapidamente na pele. Ou seja, misturá-lo aos blends vai proporcionar uma penetração mais rápida.

O óleo de jojoba possui ação de desobstrução e limpeza dos poros e das glândulas sebáceas. É mais indicado, na Podologia, para hidratação profunda, protocolos de circulação, peles muito ressecadas e pacientes diabéticos ou com problemas vasculares.

O óleo de jojoba potencializa a ação do blend, principalmente em pacientes que requerem um cuidado maior, como um pé diabético, por exemplo.

Livros para aprender Aromaterapia na Podologia

Sinceramente, antes de lançar o meu livro de Aromaterapia na Podologia, eu não conhecia nenhum livro específico no assunto. E olha que eu procurei…

No entanto, existem sim bons livros sobre aromaterapia. Livros que ainda uso e indico para aprender e aprofundar no assunto. Por exemplo:

O Grande Manual Da Aromaterapia

Esse livro é um manual completo de aromaterapia científica. Nele, você aprende sobre 100 óleos essenciais.

Embora não seja específico para Podologia, é uma excelente fonte de estudo e pesquisa para aprofundar e conhecer mais sobre as propriedades e efeitos de muitos óleos essenciais usados na Podologia.

Técnicas de Aplicação de Óleos Essenciais

Embora esse também não seja um livro específico sobre aromaterapia na Podologia, ele é um livro muito instrutivo para o podólogo.

Além de ensinar sobre óleos essenciais, ele também ensina sobre óleos vegetais, creme neutro e argilas.

É um ótimo livro para o podólogo aprofundar o seu conhecimento sobre os óleos essenciais.

Aromaterapia na Podologia

livro aromaterapia podologia

Esse sim é um livro específico sobre óleos essenciais na Podologia. Um livro de Aromaterapia, escrito por uma podóloga, professora de Podologia.

Nele você aprende a usar os principais óleos essenciais utilizados na Podologia.

Além disso, aprende também a usar óleos vegetais, creme neutro, argilas, além de dominar os protocolos para as principais podopatias que aparecem em nosso consultório.

Aromaterapia e Alta Frequência na Podologia

Todas as vezes que falo de aromaterapia em minhas aulas, a comparação com a alta frequência é inevitável.

Sempre respondo que não é melhor nem pior. De acordo com a minha pesquisa e experiência, definitivamente, elas se complementam.

Em síntese, a alta frequência potencializa a ação do blend, porque ela não só aumenta a permeação do blend na pele bem como aumenta a vascularização local.

Por exemplo: na onicocriptose, depois que a ferida fechar, você pode aplicar um blend para fortalecer a pele e logo depois aplicar a alta frequência.

Mas, atenção! Nunca use blend à base de álcool com alta frequência, porque álcool e eletricidade não combinam. Se você fizer isso, você vai literalmente tacar fogo no seu paciente.

Técnicas de Aromaterapia na Podologia

É fundamental para o podólogo dominar a aplicação científica da Aromaterapia na Podologia. Por isso, devemos dominar os 4 pilares da Aromaterapia.

massagem podologia creme neutro oleo essencial

Os 4 pilares da Aromaterapia

Os pilares da Aromaterapia orientam o uso científico dos óleos essenciais na Podologia. São eles: dosar, misturar, diluir e aplicar.

1. Dosar: saber a proporção correta dos óleos que devem ser aplicados.

2. Misturar: os óleos essenciais devem se completar harmonicamente.

3. Diluir: saber qual é a melhor base para diluir o óleo essencial.

4. Aplicar: dominar as técnicas de aplicação do produto já diluído.

Infográfico que ilustra os quatro pilares da aplicação da aromaterapia.

A anamnese é fundamental para descobrir qual óleo essencial é ideal para cada paciente.

Existem várias técnicas de Aromaterapia. No entanto, na Podologia, quatro técnicas são as mais úteis. Dominar essas quatro técnicas dará ao podólogo muitas ferramentas para turbinar os seus atendimentos. São elas:

1. Aplicação direta
2. Massagem
3. Compressas
4. Escalda-pés

Aplicação direta

Nessa técnica, o óleo essencial é misturado em um carreador para ser aplicado na pele. O carreador pode ser óleo vegetal ou creme neutro. Você também pode usar argila ou álcool de cereais. É importante falar que a argila e o álcool, tecnicamente, não são carreadores. São bases cosméticas.

Compressas

A técnica de compressas consiste em umidecer algum tipo de pano em uma solução de óleos essenciais diluídos em água, para aplicar na região a ser tratada. Essa técnica é muito útil quando precisamos tratar grandes áreas do corpo. A compressa pode ser fria o quente. Vamos ver a diferença entre elas.

A compressa fria pode ser usada para ajudar a reduzir edemas, aliviar dor e facilitar a cicatrização. A água deve estar em temperatura ambiente. Embora o nome seja compressa fria, a água não deve ser gelada.

A compressa quente é muito útil em dores musculares em grandes áreas do corpo.

A temperatura da água deve ser agradável ao paciente. Não aplique compressa quente com temperatura elevada. Após a aplicação da compressa quente, o paciente deve evitar exposição ao frio.

Massagem

A técnica de massagem podal enriquece a qualidade do seu atendimento. E te permite cobrar mais por isso.

A massagem pode ser uma massagem rápida, para finalizar o atendimento da profilaxia. Pode ser uma massagem podal relaxante de 15 minutos, para gerar uma experiência agradável e relaxante para o paciente.

Ou pode ser uma massagem podal de 30 minutos, com objetivo terapêutico. Nesse último caso, usamos a massagem, por exemplo, para alívio de dor muscular, para alívio da sensação de peso nas pernas etc.

Escalda-pés

Na Podologia, o escalda-pés pode ser usado por exemplo para relaxamento, dor muscular, circulação, bromidrose, tinea pedis e interdigital.

A fórmula do escalda-pés é:

  • 10 gotas de óleo essencial
  • 50 gramas de sal grosso
  • 3 a 5 litros de água filtrada.

Não use água da torneira. Por causa do excesso de cloro. O cloro em excesso vai prejudicar o efeito dos óleos essenciais.

O sal grosso deve ser aquele usado para terapias. Não use sla grosso de cozinha.

Você deve aplicar o óleo essencial no sal grosso, antes de dissolver o sal na água. O tempo de aplicação do escalda-pés é de 15 a 20 minutos.

viviane ripoll